Ação no fim de semana detecta mais 34 suspeitas de leishmaniose no DF

Foram 378 testes rápidos no Varjão e no Lago Norte neste fim de semana.
Causada por protozoário, doença provoca febre, fraqueza e emagrecimento.

 Do G1 DF
 Mosquito é transmissor da leishmaniose (Foto: Reprodução TV Tem)
Mosquito é transmissor da leishmaniose
(Foto: Reprodução TV Tem)

A Secretaria de Saúde do Distrito Federalrealizou 378 testes rápidos para leishmaniose durante campanha de combate à doença o Lago Norte e no Varjão neste final de semana. Menos de 10% deles – 34 – apresentou resultado reagente, que vai passar por comprovação em um novo exame.

A doença é causada por um protozoário, transmitido por um mosquito que picou um cachorro infectado, e causa febre alta, fraqueza aguda e emagrecimento em humanos. Os principais no animal são perda de apetite, feridas no corpo e secreção nos olhos.

A próxima ação da campanha de combate à leishmaniose, lançada no dia 13 de abril, ocorre em Sobradinho. Desde o mês passado foram coletados sangue de 740 animais, com detecção de 78 possíveis casos.

O único medicamento para tratamento de leishmaniose foi criado na década de 40. As regiões com maior incidência da doença são Lago Sul, Lago Norte, Fercal, Sobradinho I e II, Colorado e Jardim Botânico.

Compartilhe

Copyright © Guia de Ceilândia - O Guia comercial de Ceilândia