Em 2012, 312 pessoas foram mortas por adolescentes, aumentando o índice

 

Levantamento da Promotoria de Defesa da Infância e da Juventude do DF mostra que o índice de menores envolvidos em delitos cresceu 25,5% em 2012. Para especialistas, aumento dos casos está relacionado à falta de estrutura familiar, de perspectivas e de políticas públicas

Mara Puljiz

Publicação: 04/03/2013 06:03 Atualização: 04/03/2013 06:10

A falta de respeito com a vida tem se tornado marca registrada entre adolescentes na capital. Em 2012, 312 pessoas acabaram assassinadas por menores infratores, índice 51% maior do que o registrado no ano anterior, quando 206 pessoas perderam a vida nessas condições. As estatísticas são da Promotoria de Defesa da Infância e da Juventude do Distrito Federal. Do total de mortes do ano passado, 288 foram cadastradas como homicídios e 24 como latrocínios.O caso de brutalidade mais recente ocorreu na Estrutural, na última terça-feira. Um garoto de 13 anosteve 50% do corpo queimado depois de ser atraído em uma emboscada armada por cinco jovens — três meninas e dois rapazes entre 13 e 17 anos. Ele segue internado no Hospital Regional da Asa Norte(Hran) em estado grave.

Um levantamento feito pela Secretaria de Segurança Pública também reflete a realidade da violência na capital. No ano passado, jovens participaram de 114 casos de tráfico de drogas contra 42 em 2011, um acréscimo de 171%. Adolescentes também aparecem nas estatísticas de roubo de veículo, com 57 registros em 2012, ou seja, 338% de aumento em relação às 13 ocorrências verificadas no mesmo período do ano anterior. Roubos com restrição de liberdade cresceram 50%, e estupro, 111%. No total de registros do ano passado, os menores participaram de 1.649 crimes, 25,5% a mais que em 2011.

Fonte: Correio Web

Compartilhe

Copyright © Guia de Ceilândia - O Guia comercial de Ceilândia