‘Foi por amor’, diz jovem suspeito de sequestrar e estuprar ex-mulher no DF

Ele estava em liberdade provisória por sequestro e tortura, diz polícia.
Amigo de infância do agressor também foi preso por dar apoio no crime.

Um homem de 24 anos foi preso nesta segunda-feira (21) suspeito de sequestrar e estuprar a ex-mulher, de 19 anos, em Ceilândia, no Distrito Federal. De acordo com a Polícia Civil, o jovem já tinha um histórico de violência, com ameaças e torturas contra a jovem. Um amigo de infância do agressor também foi preso por ajudar no crime. Na delegacia, o suspeito disse que praticou o crime “por amor”.

O sequestro ocorreu por volta de 17h no último sábado (19) em uma chácara localizada em uma área rural de Formosa (GO), onde a jovem morava com a mãe, desde a separação, em novembro de 2015

“Os dois têm uma filha de 9 meses. Com o pretexto de visitar a bebê, Thiago dos Santos Neri foi até a casa da ex sogra com o amigo Johne Marcos Pereira, de 22 anos. Os dois passaram o dia na residência com familiares e a vítima. No fim da tarde, os três foram pescar”, afirma o diretor-adjunto da Divisão de Repressão a Sequestros (DRS), Paulo Fayão

Inconformado com o fim do relacionamento, Neri ameaçou a ex com uma faca e obrigou a mulher a vir para Brasília na garupa de uma moto.”O amigo também foi junto no veículo, pilotando. Johne deixou o ex casal em Planaltina, eles foram até a rodoviária do Plano Piloto de ônibus e seguiram até Ceilândia, na casa onde moravam, de metrô.”

A vítima morou com o suspeito desde janeiro de 2013. De acordo com a Polícia Civil, a mulher disse que foi obrigada a praticar relações sexuais com o homem durante todo o fim de semana. Por saber do histórico de Neri, a família da jovem acionou a Delegacia da Mulher nesta segunda.

“São pessoas bem humildes, sem estudos. Eles sabiam da violência e temiam pela vida da filha. Acreditamos que eles tinham uma dependência financeira com o agressor”, diz a delegada-chefe da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam), Ana Cristina Melo.

Violência recorrente
A Polícia Civil afirmou que o jovem já havia sido preso em 2013 por torturar e manter em cárcere privado a jovem. Ele ficou detido por seis meses e estava em liberdade provisória. “A menina tem várias marcas de tortura. Em 2013, por exemplo, a vítima  relatou que Neri sonhava que ela estava o traindo. Ele acordava, esquentava uma faca e queimava no corpo da jovem”, relata Fayão.

Neri e a vítima se conheceram no final de 2012. Segundo a delegada Ana Cristina, o agressor não deixava que a mulher frequentasse a escola ou tivesse amigos.

Soares responderá por cárcere privado. Se condenado, pode pegar até 3 anos de prisão. O ex-marido da vítima vai responder por cárcere privado e por estupro. Ele pode pegar até 13 anos de cadeia.

Fonte: G1

Compartilhe

Copyright © Guia de Ceilândia - O Guia comercial de Ceilândia