Polícia do DF prende suspeitos de vender carros adquiridos em fraude

Grupo comprava carros por meio de cheques falsos e revendia a lojas.
Golpes podem ter rendido até R$ 500 mil à quadrilha, diz Polícia Civil.

 Do G1 DF
Veículos adquiridos por quadrilha através de fraude foram apreendidos pela Polícia Civil  (Foto: Isabella Formiga/G1 DF)Veículos adquiridos por quadrilha através de fraude foram
apreendidos pela Polícia Civil (Foto: Isabella Formiga/G1

A Polícia Civil do Distrito Federalprendeu em flagrante nesta terça-feira (2) dois suspeitos de integrarem uma quadrilha que revendia carros adquiridos por meio de fraude em um negócio que pode ter rendido até R$ 500 mil ao grupo. Os suspeitos foram presos no momento em que sacavam R$ 30 mil pela venda de um carro.

Segundo a polícia, a quadrilha era formada por cinco pessoas – uma está presa por outro crime e duas continuam foragidas. Os suspeitos foram identificados por vítimas de fraudes por meio de um banco de dados de estelionatários. A polícia disse que tem cinco ocorrências do mesmo tipo de fraude envolvendo a quadrilha no DF, uma em Goiás e uma no Maranhão.

De acordo com a delegada da Coordenação de Repressão aos Crimes contra o Consumidor, à Ordem Tributária e a Fraudes, Cláudia Alcântara, o grupo procurava por carros de alto valor nos classificados e oferecia a quantia pedida, o que, segundo ela, atraía os vendedores.

“Era uma quadrilha extremamente audaciosa”, disse a delegada. “Eles engendravam uma história de forma tão bem feita que a vítima de fato acreditava que estava lidando com pastores, procurador da República e advogados, ou seja, pessoas de bem.”

De acordo com a polícia, a quadrilha depositava um cheque fraudado na conta do vendedor e, com o comprovante em mãos, levava o vendedor para fazer a transferência do carro em um cartório.

“A vítima apanhava o comprovante de depósito e acreditava que tinha recebido o dinheiro e ia para o cartório e entregava para eles o DUT [Documento Único de Transferência] e fazia uma procuração em nome de alguém daquele grupo, sem checar o banco”, disse.

Depois, de posse da procuração, a quadrilha ia até uma concessionária ou agência de veículos e vendia o carro.

“Esses estelionatários fizeram com que a vítima viesse do Maranhão trazendo um Toyota Hilux e pediram ainda que a vítima trouxesse para eles cinco quilos de camarão, do grande”, disse a delegada. “Quando a vítima chegou no Maranhão é que se deu conta que tinha caído em um golpe.”

Dois carros foram apreendidos e estão na garagem da Polícia Civil. A Justiça vai decidir se os veículos serão devolvidos para o primeiro dono, que vendeu o carro, ou para o segundo, que comprou o veículo da concessionária.

Os suspeitos serão indiciados por formação de quadrilha, com pena de um a três anos e por estelionato, com pena de um a cinco anos, por cada crime praticado.

Compartilhe

Copyright © Guia de Ceilândia - O Guia comercial de Ceilândia